Diferença entre Adenovírus e Retrovirus

Adenovírus versus Retrovírus

Os vírus são considerados como a perdição de nossa existência. Isso ocorre porque os vírus são conhecidos por destruir comunidades ou populações inteiras antes. Eu acredito que a maioria de vocês pode se lembrar ou ter ouvido falar da praga negra ou do susto da varíola, em que muitas pessoas morreram. Mais recentemente, o susto da SARS provocou muitos países. Além disso, os vírus também são tão resistentes que podem até se amarrar às aves antes de serem transmitidas para seres humanos, como o vírus da gripe aviária. Esta é a razão pela qual muitos países melhoraram seus programas na proteção de seus cidadãos contra doenças provocadas por outras formas de vírus e pesquisando novas maneiras de lutar contra eles.

Ainda assim, existem outras vertentes de vírus que continuam a perseguir-nos, mesmo quando falamos. Existem muitos tipos de vírus que ainda vagam ao nosso redor, mesmo com todos esses avanços tecnológicos sobre imunidade viral. Em alguns países, ainda ocorrem surtos de varíola e de sarampo, embora se diga que são de natureza sazonal. A tosse e o resfriamento podem ser devidos a algumas cepas virais. E por isso, os cientistas estão sempre em movimento para estudar vírus e procurar maneiras mais recentes de se livrarem completamente desses organismos traquinas.

Mas antes que eles possam erradicar completamente esses vírus, eles devem saber sobre eles. Um vírus é considerado um agente patogénico ou agente infeccioso que se replicará somente após ter entrado em contato com uma célula viva. Os vírus afetam não apenas os animais, mas também as plantas. A maioria dos vírus contém 2 ou 3 partes principais, informações genéticas constituídas por ARN ou DNA, uma cadeia de moléculas para transportar esses materiais genéticos e uma camada protetora para atuar como proteção. A maioria dos vírus geralmente tem essas partes. Mas, embora possa haver muitos vírus por aí, nos concentraremos na diferença entre um adenovírus e um retrovírus.

Um adenovírus é considerado o maior entre os vírus não envolvidos. Este termo indica que o vírus não tem protetor protetor, chamado de cápside, para enrolar a informação genética armazenada no interior do vírus. Este vírus contém um DNA de cadeia dupla. Demonstrou-se que este vírus é a causa de cerca de 10% das infecções respiratórias superiores em crianças e adultos.

Um retrovírus, por outro lado, é um exemplo de um vírus envolvido. Neste caso, possui uma camada protetora protectora que a torna mais resistente e tem maior tendência a causar doenças. É considerado como um vírus de RNA e pode se integrar às células hospedeiras, causando danos à célula.

Você pode ler mais sobre este tópico, pois apenas os detalhes básicos são fornecidos aqui.

Resumo:
Os vírus vêm em várias formas e tamanhos, e somente replicam quando estão dentro das células vivas.
Um adenovírus é um vírus não envolvente, o que significa que não possui revestimento protetor.
Um retrovírus é um exemplo de um vírus envolvido, tornando-o mais resiliente e causa maior tendência de infecção ou doenças.